Reforma Trabalhista

Resistência nas ruas é o caminho para barrar reforma

Reforma Trabalhista precariza condições de trabalhado e dificulta acesso à Justiça [Escrito por: CUT-SP] Em um cenário de golpe e ataques aos trabalhadores, uma das mesas realizadas na 15ª Plenária Estadual – Congresso Extraordinário e Exclusivo debateu sobre a Reforma Trabalhista, aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo presidente ilegítimo Michel Temer, no último dia 13/7. Ela entra em vigor em 120 dias. O Projeto de Lei 38 foi aprovado no Senado como chegou da Câmara dos Deputados. Ele altera nada menos do que 117 artigos dos 900 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A mesa realizada na sexta (21), foi coordenada pelo secretário de Relações do Trabalho da CUT-SP, Ademilson - Leia mais [...]

Trabalhadores com carteira assinada podem ser prejudicados pela reforma de Temer

Contratos mantidos por 48 milhões de trabalhadores no país poderão ser alterados quando a reforma entrar em vigor. “Quem não aceitar, estará na rua e ponto final”, diz o presidente da CUT, Vagner Freitas [Escrito por: Rede Brasil Atual] Os 48 milhões de trabalhadores que têm carteira assinada no país, segundo os dados da RAIS, e portanto já estão no mercado de trabalho, poderão ser prejudicados pela reforma trabalhista, aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Michel Temer nesta quinta-feira (13). “Daqui a 120 dias quando o desmonte de Temer entrar em vigor, os contratos formais de trabalho poderão ser alterados. Para isso, bastará uma simples ‘conversa’ entre patrão e - Leia mais [...]

A CUT não aceita o desmonte dos nossos direitos

Pela revogação do PLC-38 da “Reforma Trabalhista” [Escrito por: CUT Nacional] A Central Única dos Trabalhadores não aceita e não reconhece qualquer legitimidade no fato de 50 senadores liquidarem direitos trabalhistas duramente conquistados, obedecendo as ordens de um governo golpista e ilegítimo e a serviço dos interesses de empresários. A CUT conclama as suas bases a seguir na luta pela Revogação do PLC 38 e utilizará todos os meios jurídicos, políticos e sociais para atingir esse objetivo. A sanção de Temer a essa lei que atropela inclusive direitos constitucionais não encerra a questão. É preciso derrotar esse ataque maior aos direitos trabalhistas e aos sindicatos através da luta de classe. A CUT considera - Leia mais [...]

Ufop realiza debate sobre reformas trabalhista e da Previdência

Sindmon-Metal é uma das entidades que participam da discussão A Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), campus Monlevade, realiza na quarta-feira (12), às 17 horas, um debate sobre as reformas trabalhista e da Previdência, com palestra do juiz do trabalho Cléber Lúcio de Almeida, pós-doutor em direito pela Universidad Nacional de Córdoba (Argentina). Para debater o tema com o palestrante, foram convidadas entidades sindicais e estudantis. O Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade (Sindmon-Metal) será representado pelo presidente, Otacílio das Neves Coelho, e pelo secretário de administração e finanças, José Quirino dos Santos. O evento, aberto a todos os interessados, acontece no auditório da Ufop, na rua 36, nº 115, - Leia mais [...]

CUT não negocia perda de direitos da classe trabalhadora

Presidente da Central reafirma que não há qualquer negociação em andamento com governo golpista [Escrito por: Vagner Freitas, presidente nacional da CUT] Nos últimos dias, vários órgãos de imprensa vêm publicando matérias sobre supostas negociações de “centrais sindicais” com o governo Temer para manter o imposto sindical em troca da aprovação da reforma Trabalhista, na realidade um desmonte dos direitos assegurados na CLT. O termo ‘centrais sindicais’, sempre assim, no plural, induz o leitor a erro. Existem nove centrais sindicais no Brasil, a maior e mais combativa, com mais de 25 milhões de trabalhadores na base é a CUT. E a CUT não está negociando nem nunca negociou retirada de - Leia mais [...]

“Reforma trabalhista representa retrocesso ao século XIX”

Opinião é compartilhada pela desembargadora do trabalho aposentada Magda Biavaschi, o economista José Dari Krein e o sociólogo Ricardo Antunes [Escrito por: Manuel Alves Filho / Jornal da Unicamp] O Brasil vive atualmente uma onda regressiva profunda. Nem mesmo no período da ditadura militar houve uma ofensiva tão dura contra os direitos dos trabalhadores como a que está em curso. Se aprovada da forma como foi proposta, a reforma trabalhista pretendida pelo governo Temer, que é inconstitucional, fará com que o país retroceda ao século XIX no que se refere à proteção social do trabalhador. A análise resume, em boa medida, as falas de três participantes do seminário “Greve Geral - Leia mais [...]

Plataforma “NA PRESSÃO” facilita pressionar autoridades públicas

Ferramenta foi lançada pela CUT em junho como instrumento de luta contra projetos nocivos à classe trabalhadora [Escrito por: CUT] Lançada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), a plataforma digital “Na Pressão” é uma ferramenta para cobrar autoridades como parlamentares e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Por meio de e-mail, telefone e das redes sociais será possível enviar mensagens e participar de campanhas cadastras no site. Já estão no ar as mobilizações de combate às reformas Trabalhista e Previdenciária e de defesa das Diretas Já! Apenas na primeira hora de lançamento foram mais de sete mil e-mails enviados, o que comprova, conforme aponta o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, - Leia mais [...]

Conheça cinco maldades da reforma trabalhista

Mudança na lei deixará trabalhadoras mais vulneráveis a assédios e a jornadas exaustivas [Escrito por: Fania Rodrigues / Brasil de Fato] Em meio à denúncias de corrupção envolvendo diretamente o presidente ilegítimo Michel Temer (PMDB), o governo tenta aprovar a reforma trabalhista, que retira direitos dos trabalhadores para favorecer grandes empresários. O projeto de lei que muda a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovado na quarta-feira (28), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), seguirá para a última etapa de votação, no plenário do Senado Federal. Veja o que muda na CLT e como isso afeta sua vida. 1. Grávidas e lactantes poderão trabalhar em lugares insalubres. Se aprovada, a reforma permitirá que mulheres - Leia mais [...]

Rejeição a relatório da reforma trabalhista ‘aumenta o ânimo da tropa’, avalia Diap

Analista aponta mudança de dois votos, antes tidos como favoráveis ao governo, no resultado que derrubou parecer defendido pelo Planalto. Um deles foi do PSDB [Escrito por: Vitor Nuzzi / Rede Brasil Atual] São Paulo – A rejeição ao relatório do governista Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre o projeto de reforma trabalhista, nessa terça-feira (20), na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, “aumenta muito o ânimo da tropa” oposicionista, além de expor senadores até agora favoráveis ao texto, avalia o analista Antônio Augusto de Queiroz, o Toninho, diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). O resultado surpreendeu a própria entidade e representou inesperada derrota para o Planalto, que agora tentará - Leia mais [...]

Mudanças na legislação trabalhista foram conduzidas por parlamentares-patrões

Reportagem da Agência Pública mostra que maioria de parlamentares que aprovou lei de terceirização é empresário ou seu representante. Isso se repete na reforma trabalhista [Escrito por: Alice Maciel – Agência Pública] Na semana anterior à votação da proposta de terceirização na Câmara dos Deputados, uma empresa do deputado federal Laércio Oliveira (SD-SE), relator do projeto, era alvo de mais de um processo na Justiça do Trabalho de Sergipe. O deputado é dono de duas empresas de terceirização que prestam serviços de vigilância e de limpeza. No dia 16 de março passado, a Franca Serviços de Vigilância e Segurança Patrimonial passou a responder a mais um processo trabalhista. A empresa - Leia mais [...]