notícia

Participantes do “Grito dos Excluídos” pedem por justiça e igualdade

A Arquidiocese de Itabira-Coronel Fabriciano realizou em João Monlevade, no Dia da Independência (7 de setembro), a 24ª edição do Grito dos Excluídos. Representantes de pastorais da região, movimentos sociais e imprensa independente participaram do evento. O Sindicato dos Metalúrgicos (Sindmon-Metal) foi um dos apoiadores da iniciativa. Com o lema ““Desigualdade Gera Violência: Basta de Privilégios””, houve concentração às 8h na Ufop (Universidade Federal de Ouro Preto), onde se iniciou uma caminhada até o trevo da avenida Armando Fajardo com BR-381 (“rodovia da morte”), que foi abraçado simbolicamente. Participantes carregaram faixas e cartazes com mensagens por democracia, igualdade e justiça, e nomes de trabalhadores rurais assassinados foram expostos em cruzes carregadas - Leia mais [...]

Igreja Católica e movimentos sociais realizam 24ª edição do Grito dos Excluídos no dia 7 de Setembro

Este ano, a Paróquia São Luis Maria de Monfort, de João Monlevade, sediará no dia 7 de setembro o Grito dos Excluídos Diocesano da Arquidiocese Itabira-Coronel Fabriciano, que tem apoio do Sindicato dos Metalúrgicos (Sindmon-Metal), entre outras entidades e movimentos sociais. A programação prevê concentração às 8h na Ufop, no bairro Loanda, onde terá início uma caminhada até o trevo da BR-381 com avenida Armando Fajardo e, e seguida, à Igreja São Luís Maria de Monfort. Com o lema nacional “Desigualdade Gera Violência: Basta de Privilégios”, esta é a 24ª edição do Grito dos Excluídos, manifestação popular criada pela Igreja Católica e realizada pela primeira vez em 1995. Destinado a promover - Leia mais [...]

Do lado dos patrões, ministros do Supremo aprovam terceirização irrestrita

Por 7 a 4 ministros do STF votaram pela constitucionalidade da terceirização da atividade-fim das empresas. Dirigentes da CUT criticam decisão e dizem que STF não conhece a realidade da vida de um trabalhador [Escrito por: Rosely Rocha / CUT] A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou contra os trabalhadores e trabalhadoras do país ao aprovar, por 7 a 4 votos, a constitucionalidade da terceirização da atividade-fim das empresas. Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, é mais um erro dos ministros do STF que prejudica, mais uma vez, a classe trabalhadora brasileira. “Ao autorizar a terceirização indiscriminada, a Suprema Corte, que é a Casa revisora do - Leia mais [...]

Sindmon-Metal fecha acordo sobre modelo de comissão de PLR que pode se tornar referência

Tentativas de solução de divergências se desenrolavam desde 2016, quando o Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade moveu ação na Justiça contra a ArcelorMittal [Escrito por: Wir Caetano / Sindmon-Metal] Garantia de comissão paritária, democrática e autônoma, estabilidade por dois anos para seus integrantes e participação de dois representantes sindicais. Esses são os pontos centrais da proposta de modelo de negociação de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) que o Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade (Sindmon-Metal) conseguiu aprovar, em acordo fechado com a ArcelorMittal na última sexta-feira (24). A luta sindical fez a Usina de Monlevade ser a primeira da ArcelorMittal no Brasil a ampliar a representação da categoria na discussão da - Leia mais [...]

Aposentado que precisa de ajuda permanente pode receber 25% a mais no benefício

Decisão é do STF e vale para aposentados por idade ou por tempo de contribuição que comprovarem dependência de outra pessoa. Para secretário da CUT, valor de quem  ganha menos deve ser maior. INSS vai recorrer Todos os aposentados que precisam de auxílio permanente de terceiros terão direito a um acréscimo de 25% no valor do benefício mensal pago pela Previdência Social. A decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), aprovada por cinco votos a quatro, nesta quarta-feira (22), vale para quem se aposentou por idade ou tempo de contribuição e poderá beneficiar um número, a princípio, incalculável de aposentados e pensionistas. Pela regra atual somente os aposentados por invalidez - Leia mais [...]

STF avalia terceirização em processos anteriores à reforma Trabalhista

No Plenário, CUT defenderá a classe trabalhadora contra as ações que podem ratificar a terceirização ilimitada, conforme prevê a nova reforma trabalhista de Temer [Escrito por: Luciana Waclawovsky / CUT] O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) inicia, nesta quinta-feira (16), julgamento de duas ações que tratam do tema da terceirização. O que está em jogo, na verdade, é o questionamento da Súmula 331 do Tribunal Superior do Trabalho (TST), anterior à reforma Trabalhista, que proíbe a terceirização nas atividades fim das empresas. Antes de a nova lei entrar em vigor, a Justiça do Trabalho examinava os casos concretos em que a terceirização era considerada fraudulenta porque atingia a atividade fim - Leia mais [...]

Desmonte da legislação trabalhista aumenta número de acidentes e mortes

Ataques à Norma Regulamentadora 12, do Ministério do Trabalho, e precarização expõe trabalhador a riscos maiores. “Reforma” afeta Previdência com queda de receita e aumento de despesas [Escrito por: Cida de Oliveira / Rede Brasil Atual] De 2012 a 2017 foram registrados 4.269.648 acidentes de trabalho. Um a cada 48 segundos. O total de mortes no período 15.874. Só em São Paulo, foram 3.517 acidentes com mortes. As principais causas são lesões como cortes, lacerações, feridas contusas, esmagamento, fratura, distensão e torção. Os dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, uma plataforma desenvolvida e mantida pelo Ministério Público do Trabalho em Cooperação com a Organização Internacional - Leia mais [...]

Temer legaliza o bico e trabalhador passa a receber menos que um salário mínimo

Há casos em que os trabalhadores são demitidos e recontratados de forma precária, sem direitos, ganhando cerca de R$ 320 por mês e trabalhando mais. Sem renda, a contribuição para Previdência se torna inviável [Escrito por: Tatiana Melim / CUT Nacional] Com a legalização de formas fraudulentas de contrato de trabalho, trabalhadores e trabalhadoras chegam ao final do mês sem conseguir ganhar sequer um salário mínimo para sustentar a família e ainda correm o risco de ter o direito à aposentadoria ameaçado no final da vida, mesmo após anos de trabalho, pois não terão recursos para contribuir mensalmente. O contrato intermitente, em que o trabalhador recebe por hora trabalhada, e - Leia mais [...]