Assembleia de trabalhadores da ArcelorMittal Monlevade aprova pauta de reivindicações

[Escrito por: Wir Caetano/Sindmon-Metal] Trabalhadores da ArcelorMittal Monlevade aprovaram na quarta-feira (14), em assembleia, a pauta da campanha salarial 2016/2017. As reivindicações incluem reajuste salarial de 13%; abono de R$ 1.300,00; salário de ingresso de R$ 1.919,36; auxílio-funeral de R$ 2.398,54 e multa de descumprimento de acordo de R$ 1.595,50. Desta vez, as cláusulas propostas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade (Sindmon-Metal) são apenas de natureza econômica, porque os itens sociais do acordo coletivo em vigor valem até o próximo ano. A data-base da categoria é 1º de outubro. As negociações da campanha de 2015 se estenderam por nove meses, só tendo se encerrado em junho deste ano, depois que - Leia mais [...]

Nos 50 anos do FGTS, bancos privados ameaçam gestão pela Caixa

Governo Temer pode usar recursos dos trabalhadores para patrocinar privatizações [Escrito por Maria Rita Serrano, do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas] O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) completa 50 anos em 13 de setembro. Seus recursos impulsionam, hoje, setores essenciais como habitação popular, saneamento básico, infraestrutura e mobilidade urbana. Com a consolidação do governo golpista, porém, o quadro deve mudar. Bancos privados estão alvoroçados para abocanhar esse dinheiro, retirando o monopólio da gestão da Caixa. “Concorrência de bancos pelo FGTS interessa ao trabalhador”, escreveu a colunista de O Globo, Miriam Leitão em artigo, em clara campanha da imprensa pela partilha dos recursos pelos bancos privados. O argumento principal - Leia mais [...]

‘Nossa luta não vai parar’, garante presidente da CNM/CUT

Paulo Cayres convoca categoria a participar, em 22 de setembro, do Dia Nacional de Paralisação marcado pela CUT. E reforça que dia 29 também tem mobilização específica dos metalúrgicos em todo Brasil [Escrito por: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT] Jornada de trabalho de até 12 horas diárias, terceirização sem limites, fim do FGTS, salários e contratos de trabalho flexíveis, mudanças radicais na aposentadoria. Estes são alguns exemplos do que o os patrões, o governo golpista de Michel Temer e seus representantes no Congresso Nacional querem aprovar ainda este ano. A classe trabalhadora não pode assistir calada a todo esse ataque. Por isso, a CUT está convocando para 22 de setembro o - Leia mais [...]

ZÉ MARRETA Nº 1367 – Pauta para campanha salarial em assembleia na quarta (14)

 [PDF AQUI]:  EDIÇÃO Nº 1367 – 12/09/2016 Edital ArcelorMittal /Trabalhadores precisam resistir à guerra de elites econômicas e políticas contra conquistas trabalhistas / Rede de Trabalhadores da Arcelor se articula contra política de PLR autoritária e sem transparência / Chefinho acha que quem “não é criança” deve engolir qualquer coisa / Reclamações contra PH não param / Processos da “Meia Hora” - Leia mais [...]

Pronatec deve perder R$ 1 bilhão em 2017 e vagas correm risco em governo golpista

Escrito por: Basília Rodrigues, CBN A proposta de Orçamento do governo de Michel Temer para o ano que vem prevê menos recursos para o abono salarial, seguro desemprego e o Pronatec do que a proposta orçamentária deste ano. O programa que oferece vagas de ensino técnico e qualificação profissional perdeu R$ 1 bilhão de 2016 para 2017. O orçamento caiu de R$ 2,2 bilhões para R$ 1,2 bilhão. O Pronatec é um dos programas que mais vem sofrendo cortes nos últimos anos por causa do ajuste fiscal. Para não acabar de vez, o governo, ainda na gestão de Dilma, firmou parceria com o Sistema S, mas para 2017 não há garantia - Leia mais [...]

Medidas anunciadas são todas de perdas para os trabalhadores, dizem especialistas

Flexibilização das leis trabalhistas, terceirização e corte em gastossociais devem ter efeito contrário e agravar a recessão econômica Escrito por: Rede Brasil Atual São Paulo – Para superar a crise econômica, o governo Michel Temer tem defendido medidas de ajuste radical, como a PEC 241, que limita os gastos públicos por 20 anos, e a flexibilização das leis trabalhistas, com a ampliação da terceirização para todas as atividades, proposta já aprovada na Câmara e agora em análise no Senado. Especialistas contestam: “As medidas anunciadas são todas de perdas para os trabalhadores”, afirma Patrícia Palatieri, coordenadora de pesquisas do Dieese. Sobre a PEC 241, a economista afirma que a proposta coloca em xeque - Leia mais [...]

Câmara tira recursos da educação e saúde para pagar juros

Parlamentares votaram com Temer a favor da PEC que tira investimento em recursos públicos [Escrito por: Luiz Carvalho / CUT Nacional] Ao aprovar a admissibilidade da PEC 241/16 (Proposta de Emenda à Constituição), nesta terça-feira (9), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) da Câmara dos Deputados mandou um recados aos brasileiros: para a base do governo golpista, pagar juros é mais importante do que oferecer serviços de qualidade à população. Com 33 votos a favor e 18 contra, a medida aprovada limita o crescimento de gastos públicos federais por 20 anos e acaba com o investimento obrigatório na saúde pública e educação vinculado às receitas, conforme - Leia mais [...]