slider

Crise interrompeu avanços na inserção do negro no mercado de trabalho

Pesquisa Dieese mostra que participação dos trabalhadores negros aumentou, mas taxa de desemprego é maior. Diferença de salários em relação aos não negros diminuiu, mas ainda é de 30% [Escrito por: Rede Brasil Atual] A recente crise econômica interrompeu alguns avanços na redução da disparidade entre negros e brancos no mercado de trabalho da região metropolitana de São Paulo, aponta boletim divulgado nesta quinta-feira (17) pela Fundação Seade e pelo Dieese. A diferença nas taxas de desemprego, por exemplo, que em 2014 foi de 1,9 ponto percentual, a menor desde 1985, cresceu para 2,9 pontos no ano passado: a taxa foi de 14,9% entre os negros (16,3% no caso das - Leia mais [...]

Plenária da CUT/MG define próximas mobilizações

Sindicatos e movimentos sociais preparam Ato e paralisações do dia 25 de novembro [Escrito por: CUT/MG] Sindicatos CUTistas, federações e movimentos sociais debateram e articularam, em Plenária realizada na tarde de segunda-feira (21), na sede da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT), a próxima Agenda de Lutas. A principal mobilização é o Dia Nacional de Paralisações e Lutas por Direitos, com paralisações e atos, na próxima sexta-feira, 25 de novembro. A concentração acontecerá na Praça da Estação, por volta das 11 horas, quando já estarão no local trabalhadoras e trabalhadores da saúde, da base do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), a Frente Estadual em - Leia mais [...]

Diretor do Sindmon-Metal fala sobre sindicalismo e direitos em conferência em BH

[Escrito por: Wir Caetano, com informações dos organizadores] O secretário de Administração e Finanças do Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade (Sindmon-Metal), José Quirino dos Santos, será um dos conferencistas do evento “Desafios e Perspectivas do Sindicalismo: Crise e Transformação” , no dia 24 de novembro, a partir das 19 horas, no centro cultural CentoeQuatro, em Belo Horizonte. O sindicalista irá falar sobre as práticas antissindicais e a defesa dos direitos dos trabalhadores. A conferência, promovida pelo Escritório Caldeira Brant, que presta assessoria jurídica ao Sindmon-Metal e é referência em direito do trabalho e sindical em Minas Gerais,  reunirá líderes sindicais, acadêmicos, desembargadores, juízes, procuradores, advogados, representantes de movimentos sociais e políticos. - Leia mais [...]

Juventude já está na rua, falta o trabalhador, diz presidente da CUT

“O objetivo do golpe é tirar a classe trabalhadora do planejamento econômico do país”, afirmou nesta terça-feira (8) o presidente da CUT, Vagner Freitas, no encerramento de uma assembleia nacional de trabalhadores do setor de transportes, ligados a diversas centrais sindicais. Parte deles participará de paralisações nas próxima sexta-feira (11), em um dia nacional de greve contra a ameaça de retirada de direitos por parte do governo Temer. Para o dirigente, ainda falta, em alguma medida, convencer o trabalhador de que o processo de impeachment foi contra ele. “A juventude já está na rua, lindamente, outros movimentos também. Falta o trabalhador organizado.” [Escrito por: Luiz Carvalho/CUT Nacional] Freitas identifica algumas - Leia mais [...]

STF julga terceirização e pode precarizar ‘legalmente’ as relações de trabalho

[Escrito por:  Rede Brasil Atual] São Paulo – O Supremo Tribunal Federal (STF) julgará nesta quarta-feira (9) a Súmula 331 do Tribunal Superior do Trabalho, que trata de contratos de trabalho, admitindo a terceirização de atividades-meio das empresas, mas não atividades-fim. Para o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, caso o Supremo admita todos os tipos de terceirização, a decisão poderá precarizar a situação de todo o mercado de trabalho. “O STF pode dar mais liberdade às empresas que estabelecem a terceirização, o que poderá fragilizar os trabalhadores dessas empresas que já estão em situação precária. (Essas prestadoras de serviço) já deixam de pagar direitos a esses trabalhadores, encerram as - Leia mais [...]

Motivos para parar dia 11 de novembro não faltam

Desde que o golpe se concretizou, golpistas avançam em direitos da classe trabalhadora e tropeçam em contradições [Escrito por:  CUT] A CUT e demais centrais sindicais chamaram, para o próximo dia 11 de novembro, o “Dia Nacional de Greve”. A expectativa é de união de classe trabalhadora contra um governo que tem em sua gênese um golpe parlamentar que derrubou a presidenta eleita Dilma Rousseff. Uma breve análise do cenário político nos últimos meses mostra que desde que Michel Temer (PMDB) sentou na cadeira da presidência, um alvo ficou evidente: os direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores. Não faltam motivos, portanto, para que no próximo dia 11 de novembro a - Leia mais [...]