slider

Distribuidora de energia é condenada por contratação ilegal de trabalhadores

“A intermediação de mão de obra é sempre ilegal, quer seja na atividade meio ou fim”, diz trecho da decisão do TRT-RS. Juízes levaram em contra precarização e diferenças salariais [Escrito por: Tatiana Melim / CUT] A aprovação e sanção da reforma Trabalhista do ilegítimo e golpista Michel Temer (MDB-SP), não deu aos empresários o poder de fazer o que bem entenderem, ao contrário do que muitos acharam. A inconstitucionalidade de pontos da nova Lei ainda será analisada em diversas instâncias do Poder Judiciário, como é o caso da terceirização sem limites. Enquanto isso não acontecer, as ilegalidades serão penalizadas. A condenação da distribuidora de energia RGE Sul, do Grupo - Leia mais [...]

CNM/CUT: política industrial tem de garantir emprego e produção nacional

Em resposta às declarações de Donald Trump, que anunciou sobretaxa nas importações de aço, a Confederação reafirma defesa da indústria brasileira [Escrito por: CNM/CUT] Após o anúncio do presidente Donald Trump nesta quinta-feira (1) de impor sobretaxa nas importações de aço e alumínio, a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) reafirma sua defesa de uma indústria nacional forte, que tenha diretrizes com participação da classe trabalhadora. Afirmando a necessidade de proteger a indústria norte-americana, Trump divulgou que vai impor sobretaxas de 25% sobre importação de aço e de 10% sobre a importação de alumínio. O Brasil é um dos principais exportadores de aço para os EUA. Em 2017, enviou - Leia mais [...]

Com Temer, País tem mais empregos precários e mal remunerados

Segundo IBGE, número de trabalhadores sem carteira aumentou 5,7% e o rendimento é 44% menor do que o dos trabalhadores que têm carteira assinada [Escrito por: Marize Muniz / CUT Nacional] O Brasil está gerando mais empregos precários e mal remunerados, aponta Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgado nesta sexta-feira (23) pelo IBGE. Em 2017, o número de trabalhadores e trabalhadoras sem carteira assinada, portanto, sem direito a férias e 13º salário, entre outros benefícios, aumentou 5,7% – o de trabalhadores formais caiu 2%. Além de não terem direitos, os informais recebem, em média, 44% menos do que o trabalhador que tem carteira assinada. Para o presidente da CUT, - Leia mais [...]