As barreiras da Belgo – Uma mobilização há 30 anos

 

Na imagemReprodução de trecho de matéria do “Jornal Monlevade” de 20 de outubro de 1982. A reportagem trata da dispensa de 1.600 trabalhadores anunciada pela então Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira (atualmente, ArcelorMittal), reduzindo o quadro de pessoal para 2.500 funcionários. A empresa iria construir nova aciaria.

No fragmento, o prefeito de João Monlevade na ocasião, Antônio Gonçalves, fala da tentativa de implantar um Distrito Industrial, o que vinha enfrentando barreiras impostas pela Belgo, proprietária do terreno onde a Prefeitura pretendia realizar o empreendimento. A área viria a ser doada ao município no início dos anos 1990.

O Sindicato dos Metalúrgicos, na época presidido por Leonardo Diniz, preparou um dossiê sobre a questão e procurou a Prefeitura, Câmara de Vereadores e outras instituições, como a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial e Industrial de João Monlevade (Acimon) e Lions Clube, para assinar o documento, na tentativa de evitar as demissões. Todos os assinaram, com exceção da Acimon, que, depois de ouvir o gerente geral da Belgo de Monlevade, optou por apoiar a empresa.

As dispensas acabaram acontecendo.

(Abaixo, reprodução da página com a matéria completa do jornal)