Especialistas desmentem propaganda oficial a favor da reforma da Previdência

[Escrito por: Rede Brasil Atual] Em propaganda que defende a reforma da Previdência, que está sendo veiculada na TV, no rádio e em jornais de todo o país, o governo Temer insiste na tese de que a reforma é a única saída para salvar a aposentadoria dos trabalhadores. “Ou reforma a Previdência, ou ela quebra”, diz um dos slogans da campanha. Especialistas, contudo, contestam e afirmam que o propalado rombo, na verdade, não existe. Eles destacam que a Previdência tem outras fontes de recursos, como tributos pagos pelas empresas, taxações de importações e até loterias, como a Mega-Sena, não ficando restrita apenas às contribuições dos trabalhadores. “As contas da Previdência - Leia mais [...]

Pacote de Temer não destrava economia e penaliza trabalhadores, diz presidente da CNM/CUT

Em artigo, presidente da CNM/CUT avalia medidas econômicas anunciadas em dezembro e conclui que sem política industrial e participação dos trabalhadores em fóruns decisórios país não crescerá [Escrito por: CNM/CUT] O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Paulo Cayres, divulgou nesta segunda-feira (9) artigo em que analisa o pacote de medidas microeconômicas anunciado pelo governo ilegítimo de Michel Temer no mês passado. Para o sindicalista, o Brasil só poderá efetivamente voltar a crescer com uma política voltado ao fortalecimento da indústria – transformando-a no motor da economia – e com ações que estimulem o crédito, a redução da taxa de juros e, principalmente, gerem empregos. No texto, - Leia mais [...]

Reforma para um novo ciclo político

A fragmentação política desconstituiu o centro democrático, e abriu espaço para a direita [Escrito por: Marcio Pochmann, na Revista Brasil Atual] Após os 21 anos de vigência da ditadura (1964-1985) que interromperam a primeira experiência de regime de democracia de massas entre os anos de 1945 e 1964 (19 anos), o Brasil ingressou no ciclo político denominado Nova República. Esta segunda experiência democrática de massas, a mais longeva até então (1985-2016), encontra-se esgotada. O golpe jurídico-parlamentar ao regime democrático no mês de agosto de 2016 rompeu com as bases do acordo sociopolítico que fundamentou e permitiu desenvolver-se a Nova República. Com 31 anos de experiências acumuladas por governos eleitos pelo - Leia mais [...]

Reforma trabalhista de Temer não vai gerar emprego

Afirmação é de economista do Dieese; com mudanças, tendência é empresários manterem efetivo mínimo na maior parte do ano [Escrito por: Isaías Dalle / CUT] Que a proposta de reforma trabalhista apresentada em projeto de lei por Temer vai multiplicar as formas de trabalhos precários – salários baixos, falta de direitos, rotatividade intensa – parece não haver dúvida. Resta saber se, ainda que menos valorizados, mais empregos surgirão, conforme prometido pelo ex-vice-presidente da República. “Não”, responde sem pestanejar Adriana Marcolino, economista que coordena a subseção Dieese da CUT Nacional. Na maior parte do ano, o número de empregos vai mesmo é cair”, completa. O raciocínio de Adriana é simples de - Leia mais [...]

Livros trazem história da música brasileira para as crianças

 Coleção, que tem edições sobre samba e Bossa Nova, choro e música caipira e, agora, sobre a Jovem Guarda e Tropicália, é uma forma de os pais apresentarem aos filhos o que se escutava no passado [Escrito por: Rede Brasil Atual] São Paulo – Dois jornalistas e uma historiadora criaram a coleção Ritmos do Brasil, com o objetivo de contar histórias da música, de forma lúdica e informativa, para as crianças. A coleção, que tem edições sobre samba e bossa nova, choro e música caipira e, agora, sobre a Jovem Guarda e Tropicália, é uma forma de os pais apresentarem aos filhos o que se ouvia no passado – a ainda - Leia mais [...]

Dieese: debate sobre reforma será intenso para evitar precarização

Para diretor técnico, 2017 terá “muitos embates” no Congresso sobre temas com impacto direto e permanente na vida do trabalhador [Escrito por: Rede Brasil Atual] São Paulo – As representações dos trabalhadores deverão travar um debate intenso no Congresso para evitar que as propostas de reforma trabalhista do governo resultem em precarização e redução de direitos, avalia o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio. Em comentário na Rádio Brasil Atual, ele prevê “muitos embates” no Legislativo no próximo ano, em uma discussão que envolve o trabalhador no seu cotidiano e ao longo de sua trajetória profissional. Entre as diversas propostas, Clemente destaca a manutenção, por mais dois anos, do - Leia mais [...]