slider

Dieese: debate sobre reforma será intenso para evitar precarização

Para diretor técnico, 2017 terá “muitos embates” no Congresso sobre temas com impacto direto e permanente na vida do trabalhador [Escrito por: Rede Brasil Atual] São Paulo – As representações dos trabalhadores deverão travar um debate intenso no Congresso para evitar que as propostas de reforma trabalhista do governo resultem em precarização e redução de direitos, avalia o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio. Em comentário na Rádio Brasil Atual, ele prevê “muitos embates” no Legislativo no próximo ano, em uma discussão que envolve o trabalhador no seu cotidiano e ao longo de sua trajetória profissional. Entre as diversas propostas, Clemente destaca a manutenção, por mais dois anos, do - Leia mais [...]

Temer mente: reforma trabalhista enfraquecerá trabalhador

PL 6787, da Reforma Trabalhista, quer destruir sindicatos e abrir caminho para oportunistas. CUT defende mudanças, mas não retrocessos [Escrito por: Isaías Dalle / CUT] O peru de Natal este ano veio salgado, fora do ponto para a maioria dos brasileiros. Um dos ingredientes desse sabor ruim veio na forma do Projeto de Lei 6787/2016, apresentado pelo governo Temer no dia 22 de dezembro, conhecido como Reforma Trabalhista. O sentido geral do projeto é baratear ainda mais o valor do trabalho dos brasileiros e brasileiras, garantindo aos empresários e especuladores em geral melhores condições de aumentar seus lucros. Projeto elaborado em gabinetes, sem participação real dos representantes dos trabalhadores e - Leia mais [...]

Temer acaba com o Natal dos trabalhadores

Em nota oficial, CUT diz que reforma de Temer é ineficaz, inoportuna e autoritária [Escrito por: CUT Nacional] A reforma trabalhista anunciada nesta quinta-feira (22) pelo governo do ilegítimo e golpista Temer é ineficaz, inoportuna, autoritária e não resolve o problema do Brasil. É ineficaz por não enfrentar o principal problema do País, que é a estagnação econômica, a crise da indústria e o desemprego que atinge milhões de famílias. É inoportuna porque está fora da realidade, foi elaborada às vésperas do Natal, o que demonstra a falta de compromisso dos golpistas com o povo, com a classe trabalhadora. É autoritária porque é unilateral, decidida sem amplo debate com as centrais sindicais - Leia mais [...]

CUT articula mobilização firme contra retirada de direitos pelo governo Temer

Depois da PEC 55, da MP do Ensino Médio e da reforma da Previdência, próxima ameaça da gestão Temer é a reforma trabalhista; sindicatos criticam prometem forte oposição [Escrito por: Cristiane Sampaio, Brasil de Fato]   Após a chegada da reforma da Previdência ao Congresso Nacional, a próxima ameaça que bate à porta dos trabalhadores brasileiros pode ser encaminhada ainda esta semana ao Legislativo: a reforma trabalhista. A pauta já movimenta sindicatos de trabalhadores, preocupados com o contexto de flexibilização de direitos. Mas, para eles, o perigo não projeta exatamente uma novidade: segundo levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), há mais de 60 matérias propondo retirada de direitos trabalhistas - Leia mais [...]

Jornal da CUT alerta que Temer quer que você trabalhe até morrer

Publicação traz exemplos da maldade que Temer e sua equipe querem aprovar já em 2017 [Escrito por: CUT] A Central Única dos Trabalhadores (CUT) lançou nessa segunda-feira, dia 19, um jornal que alerta os trabalhadores e trabalhadoras sobre os reais motivos e riscos embutidos na proposta de reforma da Previdência Social. O jornal ” O fim da aposentadoria” é didático e traz exemplos da maldade que Temer e sua equipe querem aprovar já em 2017. O texto mostra como o ficará a situação das trabalhadoras domésticas, dos pedreiros, do trabalhador rural e dos demais trabalhadores. Mostra ainda que com a reforma de Temer as mulheres terão que contribuir dez anos a mais e esperar até - Leia mais [...]

Ajufe diz, em nota, que reforma da Previdência sem debate é ‘inaceitável e temerária’

Entidade de juízes federais ressalta que governo não pode encampar discussão tendo como único enfoque a crise econômica e sem avaliar aspectos jurídicos e sociais da matéria, de forma qualificada [Escrito por: Hylda Cavalcanti, da Rede Brasil Atual] Brasília – A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) divulgou hoje (12) uma nota pública na qual se posiciona de forma crítica à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, referente à Reforma da Previdência. De acordo com a entidade, em documento assinado pelo seu presidente, Roberto Carvalho Veloso, como a reforma  atingirá substancialmente a população brasileira, precisa ser submetida a um debate “sério e qualificado” com os trabalhadores e servidores públicos. - Leia mais [...]

Reforma da Previdência sugerida atrasa o Brasil em mais de um século

Nas mãos do Congresso Nacional, a medida poderá ser o fim das políticas sociais de estado [Escrito por: CUT Nacional, com informações de agência] A proposta de reforma da Previdência detalhada nessa terça-feira (6) sugere a volta do trabalho escravo e a utilização de mão de obra infantil. Enviada ao Congresso Nacional pouco antes da meia-noite desta segunda-feira, o texto estabelece a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, e tempo de contribuição de, no mínimo, 49 anos para aposentadoria integral. Se aprovada, a regra valerá tanto para o serviço público, quanto para o privado, e atingirá mulheres com 45 anos ou menos, e homens com idade inferior a - Leia mais [...]

Governo golpista anuncia reforma da Previdência e confirma medidas nocivas à classe trabalhadora

Visivelmente constrangido, Temer disse que Congresso dará a palavra final [Escrito por: CUT Nacional] “A CUT jamais irá aceitar que desiguais sejam tratados de forma igual, como pretende o governo do ilegítimo e golpista Michel Temer (PMDB-SP)”, disse o presidente da CUT, Vagner Freitas, sobre a reforma da Previdência anunciada nesta segunda-feira (5). A  proposta dificulta o acesso à aposentadoria, elevando a idade mínima para 65 anos e aumentando o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos. Para Vagner, a idade mínima é injusta com a classe trabalhadora, em especial com os que começam a trabalhar mais cedo e as mulheres, que vão ter de trabalhar e contribuir mais - Leia mais [...]